Andropausa: ajude seu parceiro a entender e lidar com ela

A falta de sexo nem sempre significa problemas na relação. A perda do interesse sexual pode indicar um problema de saúde pouco esclarecido para os homens e para as mulheres : a Andropausa!

0 2019
(Imagem: Pinterest/oasisadvancedwellness.com)

(Imagem: Pinterest/oasisadvancedwellness.com)

O apetite sexual, ou a falta dele, pode ser um bom termômetro para medir a saúde do homem. Em muitos casos, essa queda na libido nada mais é do que um sintoma de um fenômeno conhecido como Andropausa, ou DAEM – Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino. De acordo com o dr. Roni DE Carvalho Fernandes, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia (Seccional SP), essa disfunção é constantemente comparada com a menopausa. Entretanto, diferente do caso das mulheres – onde se encerra completamente o ciclo menstrual e a ovulação – na andropausa, os níveis de testosterona diminuem significativamente, mas não desaparecem por completo do organismo masculino. “O diagnóstico da DAEM é feito através da avaliação de sintomas somados a uma dosagem sanguínea da testosterona abaixo dos valores normais”, explica.

Algumas doenças como diabetes e obesidade podem, inclusive, ajudar a piorar ou antecipar os sintomas. Por isso, o ideal para todo homem é procurar um urologista e checar suas taxas hormonais anualmente a partir dos 45 anos.

Como identificar
Essa diminuição dos níveis de testosterona se tornam mais acentuados a partir dos 50 anos, quando os homens começam a apresentar sintomas aparentes. Por isso, preste atenção no seu parceiro. Ele pode estar entrando na andropausa caso apresente dois ou mais dos sintomas listados pelo dr. Carlos Sacomani, responsável pelo setor de Urodinâmica e Disfunções Miccionais do Núcleo de Urologia do Hospital A.C. Camargo:

– Mudanças de humor
– Cansaço constante
– Perda de massa óssea e muscular
– Disfunção erétil
– Sensação de perda de energia
– Irritabilidade
– Diminuição da libido

Dr. Carlos Sacomani lembra ainda do aumento dos riscos alguns problemas de saúde, como:
– Doença cardiovascular
– Diabetes
– Obesidade
– Hipertensão
– Aumento do colesterol

Os sintomas da andropausa geralmente podem se confundir com uma série de doenças e, normalmente, os homens só passam a se preocupar quando apresentam algum tipo de perda no desempenho sexual. Uma recente pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) em parceria com a Bayer descobriu que 51% dos entrevistados (3.200 homens no total) nunca foram ao urologista. E, apesar da facilidade de acesso à informação disponível, 57% deles nunca ouviu falar de andropausa e 71% sequer conhece os sintomas do problema que pode ocasionar a tão temida impotência sexual.

O motivo? Aparentemente as visitas ao urologista são negligenciadas: 51% dos entrevistados nunca consultou um especialista e a falta de tempo é a razão mais apontada por eles (33%), seguida de perto pela ausência de motivos (32%) ou por medo (15%).

Dá para amenizar
Infelizmente, não é possível prevenir a andropausa, mas alguns sintomas são possíveis de amenizar. Além de exames que podem ser solicitados por um urologista, algumas atitudes podem ser incluídas na rotina diariamente:

– Medir a pressão
– Fazer atividades físicas regulares
– Manter uma alimentação saudável
– Não fumar
– Não abusar de bebidas alcóolicas

Tratamentos
Dr. Roni Fernandes explica que o tratamento para o DAEM pode ser feito por meio de terapias de reposição de testosterona, tanto injetável, quanto através de produtos em forma de spray ou gel, aplicados nas axilas. A dose, entretanto, varia de acordo com a orientação médica e somente o urologista pode ser capaz de indicar qual é a forma de tratamento mais indicada para cada caso.