Herpes: saiba como blindar seu corpo contra o vírus

Está sentindo coceira, formigamento ou ardor nos lábios? Atenção, pode ser herpes. A doença, que se manifesta principalmente quando tomamos muito sol, é causada pelo vírus VSV 1 e também aparece por causa de stress excessivo, uso de anticoncepcionais ou trauma no local

0 2339

herpes-labial-saude-boa-forma-12327b

Não é a primeira vez que você passa alguns dias na praia e além de ganhar um bronzeado lindo, você volta pra casa com alguma feridinha próximo aos lábios? O nome disso é herpes labial! Elas aparecem principalmente porque, ao tomarmos muito sol, nossas células de defesa se enfraquecem, diminuindo nossa imunidade e aumentando a incidência da herpes. E a doença é mais comum do que a gente pensa. Segundo a Associação Brasileira de Dermatologia, cerca de 90% dos brasileiros possui algum tipo de herpes, porém, mesmo carregando o vírus, apenas 10% das pessoas sofrem com a manifestação das feridas. Segundo a dermatologista do Hospital Albert Einstein, Selma Cernea, a primeira infecção surge logo na infância e geralmente não apresenta sintomas, mas, em alguns casos pode ser acompanhada de sintomas gripais.

A doença
O vírus da herpes fica alojado em nosso sistema nervoso e, quando escapa, dá origem aos machucados. As feridinhas então, aparecem agrupadas em forma de pequenas bolhas. Assim que elas estouram, formam um machucado que vai secando e desaparecendo com o tempo. A má notícia é que, depois que aparecem uma primeira vez, elas tendem a se manifestar de tempos em tempos, principalmente durante um período de baixa imunidade do organismo.

Tratamento
Infelizmente, a doença não tem cura e ainda é altamente contagiosa, por isso procure adiar aquele encontro se você ou ele apresentarem as tais feridinhas. Apesar de não ser possível combater a herpes labial, alguns medicamentos antivirais de uso sistêmico podem ser prescritos por um médico para diminuir o tempo de tratamento da lesão.

Prevenção
De acordo com a dermatologista, a prevenção deve ser feita, principalmente pela proteção solar adequada, usando muito filtro solar e protegendo em especial a área do rosto. “A exposição à radiação UV pode levar a imunodepressão e ao aparecimento de lesões de herpes”, explica. Durante a manifestação da doença, é bom ficar longe de alimentos ricos em arginina, como a castanha de caju, nozes, amendoim, chocolate… Em excesso, esse aminoácido estimula a proliferação do vírus.

Herpes_labial_1

Complicações
Em pacientes portadores de alguns tipos de eczema, pode haver a disseminação de lesões. “Nos imunodeprimidos, a herpes pode ser persistente e levar várias semanas para cicatrização, além da infecção bacteriana secundária”, ressalta Selma. A infecção herpética também pode surgir em outros locais da face, tronco, nádegas, mãos e até na região genital. Nesta última, ela se torna um verdadeiro problema quando ocorre durante a gestação, já que o risco de contaminação do bebê pelo canal de parto pode levar à indicação de cesariana.

Na cozinha
Alguns alimentos, como a carne, ovos, quinoa, leites e derivados ajudam a diminuir a multiplicação do vírus, já que são ricos em um aminoácido chamado lisina, por isso devem ser consumidos frequentemente. O peixe também deve estar sempre presente no cardápio. Rico em ômega 3, ele é uma arma poderosa para blindar o sistema imunológico e deixar o vírus da herpes bem longe de você!

Bjs,
Fabi Scaranzi

*Imagens: Pinterest