O lado bom da preguiça

Se você já está pensando em usar essa matéria para faltar ao trabalho só pelo título dela, pode parar por aí. A preguiça e o relaxamento trazem muitos benefícios para a saúde, sim, mas somente se forem produtivos. Aprenda como usar aquele tempinho ocioso a seu favor

0 1532
A gente pode (e deve!) ter um tempinho para relaxar e curtir a preguiça! (Imagem: Pinterest/buzzfeed)

A gente pode (e deve!) ter um tempinho para relaxar e curtir a preguiça! (Imagem: Pinterest/buzzfeed)

Passar a tarde deitada no sofá, embaixo do edredom, enquanto assiste a mais uma comédia romântica é direito seu e você deve reivindicá-lo… Mas só de vez em quando. Diferente do relaxamento, que é visto como uma técnica de combate ao stress, a preguiça é um comportamento e pode ser tratada de forma produtiva ou improdutiva. De acordo com Denise Diniz, chefe do Setor de Gerenciamento de Stress e Qualidade de Vida da Unifesp, o ser humano funciona de forma integral e não pode ser avaliado apenas por seu corpo ou mente. Seus campos físico, psíquico e social precisam estar equilibrados e, às vezes, é descansando durante o final de semana que você revigora as energias e beneficia o funcionamento do seu organismo. “O descanso e o repouso vão tirar do seu corpo a tensão geradas pelas preocupações do dia a dia, mas se essa preguiça tirar sua vontade de realizar atividades, além de repulsa ao trabalho ou até mesmo interesse em socializar, ela é vista de forma improdutiva e merece atenção.” Lembre-se que metas requerem ações, e, dependendo da intensidade e frequência da sua preguiça, ela pode ser uma barreira na conquista de sonhos.

Tirar uma pausa para o seu próprio bem-estar é fundamental para melhorar sua capacidade de concentração, memória, poder de escolha e atenção. Vamos dizer como você pode fazer isso.

Melhora na respiração
O relaxamento, ligado à respiração, é capaz de reduzir nossos picos de stress e tensão. Denise explica que uma respiração mais lenta e profunda resulta em mais oxigênio no sangue e cérebro. “Técnicas de respiração diafragmática reduzem o batimento cardíaco, diminuindo riscos de doença como taquicardia, crises de pânico, transtorno de ansiedade e fobia.”

Sono em dia
Quando nos entregamos à preguiça – e àquela meia horinha de sono depois do almoço – automaticamente recuperamos nossa atenção, ativando a memória e melhorando nossa capacidade de aprendizado. Denise ressalta também que o sono em dia melhora nosso estado de alerta e diminui nosso tempo de reação, qualidade sempre bem vista nos ambientes de trabalho e nos relacionamentos interpessoal.

Circulação ativada
Quem não se sente cansada depois de passar horas em pé ou sentada na mesma posição durante toda a tarde? Isso acontece porque a circulação venosa dos membros inferiores é dificultada pela gravidade e a falta de movimento muscular. A sensação de cansaço – e até dor! – se agrava ainda mais em quem tem propensão a problemas como varizes e retenção de líquido. Por isso, tire alguns minutos para dar uma deitadinha. A circulação venosa é favorecida quando colocamos os pés para cima por pelo menos quinze minutos.

Bom humor em dobro
Além de melhorar nossas condições físicas, a preguiça produtiva e o relaxamento têm muito a acrescentar no nosso campo emocional. Sabia que só o ato de não fazer nada já é uma forma de desligarmos a mente dos nossos problemas, pelo menos por alguns minutos? Essa pausa nas emoções negativas e ansiedade, aumentam a serotonina (substância que ajuda a melhorar o humor e a aliviar o desânimo), nos ajudando a lidar com nossas angústias e frustrações.