Por que você deve perdoar

“Quer ser feliz hoje? Vingue-se. Quer ser feliz por toda a vida? Perdoe.” Essa frase popular reflete a importância do perdão para conseguirmos viver com paz e equilíbrio sempre. Em entrevista exclusiva ao Portal Fabiana Scaranzi, a life coach Susanne Andrade, revela os benefícios de superar mágoas

0 1850

 

O ato do perdão traz paz e conforto ao coração.

O ato do perdão traz paz e conforto ao coração.

Por Joyce Moysés

Não, não é fácil perdoar. Mas todos nós possuímos essa capacidade internamente. A questão é decidir quando e como usar. Para animá-la, saiba que é umas das formas mais eficientes de destravar a sua vida. Pode ser que nesse exato momento você esteja acumulando mágoas porque alguém pisou na bola, não fez o que prometeu ou foi agressivo sem necessidade — e para quê? O que você está ganhando com isso? Hora de deixar certas coisas pra lá e ser feliz! Não sabe por onde começar? Veja o que diz a life coach Susanne Andrade, consultora na área de desenvolvimento humano e autora do livro O Segredo do Sucesso é Ser Humano (Editora Primavera Editorial):

Por que é tão difícil perdoar?
A dificuldade do perdão vem em função de um medo que as pessoas têm relacionado, principalmente, a dois aspectos: de que o comportamento volte a se repetir e de ser criticado pelos outros. É essencial lembrar que para existir a necessidade do perdão alguém se sentiu traído, magoado ou ferido de alguma forma. E isso demanda um tempo para elaborar o que aconteceu, o que depende da personalidade de cada um e da capacidade de resgatar a confiança na relação, que por um momento foi abalada. Pode haver o receio de que o perdão abra espaço para que a ação volte a se repetir, levando novamente a esses sentimentos.

O que precisamos superar, se quisermos reatar uma relação de afeto?
Uma das atitudes é se livrar da preocupação com “o que os outros vão pensar”. Vivemos hoje com o foco no mundo externo, esquecendo muitas vezes dos valores internos, do real significado de nossas ações para nós mesmos. Com isso surge o receio da crítica, de ter o valor diminuído por conta da imagem que fica diante do mundo. Para reatarmos uma relação de afeto é preciso a coragem de enfrentar a situação e identificar os ganhos para todas as partes. Quem perdoa demonstra a humildade para aprender, para se valorizar, para ensinar e abrir possibilidades de crescimento na relação. Essa relação de afeto pode ser reatada até mesmo com pessoas que faleceram, perdoando-as por atos do passado, abrindo assim um canal de libertação espiritual. É importante lembrar que por meio do perdão conquistamos uma paz interior, o que alimenta a nossa alma.

Ao perdoar, como agir?
Antes mesmo de desculpar, é fundamental abrir espaço para um diálogo para tentar entender o que de fato aconteceu e os motivos que possam ter levado a pessoa a ter atitudes que te feriram. Todo comportamento tem uma intenção positiva por trás e é essencial a reconhecermos para compreendermos, o que também ajuda. A comunicação é uma importante chave para a solução dos maiores conflitos. As pessoas devem ter a oportunidade de expressarem o que se passa dentro delas. Afinal, ao abrirmos essa possibilidade, podemos aprender muito — inclusive com o sentimento de rejeição, de traição e de raiva que possa estar em nós. Ao perdoarmos, substituimos esses sentimentos por leveza, grandiosidade e aprendizados.

E se o perdoado nos magoar de novo?
Se o outro insistir no comportamento errado, estará jogando fora uma grande oportunidade de mostrar sua nobreza. E o problema é dele. Você fez a sua parte. Ser generoso não significa ser bobo. Melhor nos afastarmos e deixar que cada um construa sua história.