Menu
 105094
Baixe agora meu e-book: 10 erros mais comuns ao falar em público
Inspire-se nas tendências para o Inverno 2016

O inverno do ano que vem parece distante, né? Mas o mundo da moda anda sempre adiantado e já indica o que estará nas vitrines em junho, julho de 2016.
Veja as novidades que as grandes grifes apresentaram na São Paulo Fashion Week para a estação fria do próximo ano.

ANIMALE

ANIMALE
As referências de Vitorino Campos e Beth Nabuco, culminaram na inspiração para o Inverno 2016 da Animale, que trouxe looks para vários tipo de mulher, com modelagens variadas, da alfaiataria em casacos e peças mais estruturadas, à languidez da seda em peças mais soltas e a pegada sexy da renda francesa, recortada artesanalmente, com transparência em tops e minissaias.

UMA

UMA
A UMA de Raquel Davidowicz trouxe uma moda minimalista, com poucas cores mas cortes variados, com texturas e construções interessantes. Rachel criou uma coleção versátil, descomplicada, confortável e com uma ênfase forte nas sobreposições, na mistura dos materiais e os efeitos que algumas técnicas podem causar na roupa.

RONALDO FRAGA

Ronaldo Fraga
Nas roupas de Ronaldo, o tecido que aparece em tudo, tricotado, misturado ao algodão ou numa versão mais rústica é a seda, confeccionada pelas artesãs da Vila da Seda, região no Paraná que mais produz casulo de seda em todo o Ocidente. Com imagens realistas e surreais do coração mesclado a partituras musicais, textos de cartas de amor, flores de bananeira e até um floral tirado de um prato da casa do estilista, a estamparia é feita toda digitalmente numa máquina brasileira criada especialmente para estampar peças inteiras de roupa, e não pedaços de tecido, sempre naturais.

LILLY SARTI

LillySarti
O esoterismo tomou conta da coleção de Lilly. A grife incorporou o misticismo com acabamentos luxuosos, como o tule devorê com símbolos que remetiam da astrologia ao Egito Antigo, pashminas, pelo de ovelha, couro, tricôs e lamê, em roupas que também flertaram com outras décadas (vide as duas calças clochard super anos 80), ofereceu boas opções de calças de alfaiataria masculina e silhuetas mais amplas.

VITORINO CAMPOS

VITORINO CAMPOS
Vitorino inspirou-se no espaço sideral e sua coleção trouxe peças futuristas com destaque para os bordados à mão, o Jeans em seu estado bruto, marinho, sem lavagens, e estampas com a mesma padronagem de ondas que aparecem em diferentes looks, impressas em cores e proporções diferentes. As peças em denim pontuam a coleção com calças bem amplas, às vezes com um excesso de folga no quadril e nas pernas, propondo novos movimentos.

IÓDICE

IODICE-mix
Waldemar Iódice contou com a parceria da estilista Simone Nunes para a inspiração da grife para a coleção de inverno, que mistura o estilo grunge, com elementos da Belle Epòque (as boinas reforçam o estilo) e passeia pelo universo militar, resultando em casacos oversize com botões gigantes e longos tricôs, com predominância de tons escuros de azul, preto e laranja, tendendo para o tijolo.

GIG COUTURE

GIG COUTURE
Gina Guerra criou uma imagem muito contemporânea e fresh ao misturar shapes esportivos com toques dos anos 90, numa silhueta que mesclou o slim e o oversize em peças todas de tricot, com estampas tropicais bordadas. Calças e saias clochard remetem ao final dos anos 80, mas o jeito de usar é mais 90, a década da vez na moda.

PATBO

PATBO mix
O bordado é o carro-chefe do trabalho de Patricia Bonaldi. Embora não tenha desaparecido na coleção, ele é usado com muito, mais muito mais parcimônia, dando lugar a recursos diferentes para decorar a roupa, o que representa uma nova fase (pelo menos nesta coleção) em termos de criação de moda. Ao experimentar propostas diversas, usar as franjas de maneira não tão tradicional, apostar nas cordas de marinheiro e no tweed rústico, a estilista caminha para um olhar mais maduro sobre sua marca.

ELLUS

ELLUSmix
A Ellus calcou sua coleção de inverno em elementos de street style e sportswear, também com um toque anos 90, tendência que vem marcando essas semanas de moda interacionais. O lado sofisticado da grife ainda se faz presente com alfaiataria, materiais trabalhados, acabamentos e uma riqueza de cores, que vai do preto aos vibrantes vermelho e amarelo, e tecidos, do veludo ao couro metalizado. As referências esportivas aparecem em estampas e tecidos como o nylon.

REINALDO LOURENÇO

Reinaldo Lourenço
Reinaldo debruçou sobre as referências portuguesas que sempre o encantaram, desta vez mais voltadas para cidadelas que andou visitando exatamente atrás de novas inspirações. Os aventaizinhos lusos apareceram interpretados em vestidos de veludo, com renda bordada por baixo. O shape traz alguns momentos de saias rodadas, mas, de maneira geral, a silhueta é slim, com saias midi, calças retas, belas camisas estampadas e jacquards inspirados nos azulejos, assim como os casacos e paletós de corte impecável.

SAMUEL CIRNANSCK

SAMUEL C
Samuel, que comemora 15 de sua grife, quis apostar no brilho e na luz. Suas roupas trazem essa luz na forma de cristais cuidadosamente bordados em vestidos para diversas ocasiões de festas e celebrações – da debutante, à noiva. Os looks pretos que abrem o desfile, com transparências localizadas, trazem um ar contemporâneo à coleção, que embarca em uma cartela de cores suave com tons como pele, rosa e azul claros bem delicados. Destaque para os luxuosos looks com mangas de plumas.

APARTAMENTO 03

APARTAMENTO 03
Todas as peças de Luis Cláudio Silva para a Apartamento 03 têm texturas e muita informação: sobreposições, bordados e amarrações, mas nada pesa. Ao mesmo tempo são roupas e looks que não passam batido, têm personalidade e força. Vale destacar o trabalho precioso dos bordados e aplicações de pedrarias, franjas, brocados que percorrem camisas, casacos e vestidos, de um pequeno (mas importante) detalhe, até cobrir um look inteiro.

COVEN

COVEN mix
A Coven fez uma parceria muito interessante com Luisa Velludo para os acessórios da coleção inverno e outra com a Carrera Jeans. Para vestir a mulher que gosta de vestidos e saias midi, um jeans totalmente diferenciado com tricot e longas echarpes gigantes, que estão entre a manta e a tapeçaria, jogadas nos ombros. E propõe tamanhos oversize no comprimento das mangas e das calças.

HELO ROCHA

Helô Rocha
O grande destaque da coleção de Helô Rocha (ex-Têca) são as peças confeccionadas artesanalmente separadas e depois costuradas, com ponto cruz, para dar forma a muitos dos vestidos, macacões, saias e tops da coleção, com mix de diferentes materiais, como python, couro com elastano, rendas variadas, tecidos tecnológicos, georgete e devorês, vários juntos numa mesma peça.

LETHÍCIA PARA RIACHUELO

Riachuelo
A Riachuelo chamou Lethicia Bronstein para trazer um toque mais requintado à sua coleção de inverno e a parceria deve também levar a Lethicia que em geral cria modelos para famosas como Mariana Rios e Carolina Dieckman, um público mais popular, já que a rede de lojas deverá comercializar as peças do desfile. Lethicia é especialista em rendas e fez um belo trabalho aplicado.

GLORIA COELHO

Gloria Coelho
Para o inverno 2016, Gloria Coelho mudou o foco e apostou no mantô como a peça-desejo de sua coleção. Item mais importante do guarda-roupa, o casaco aqui conquista menos por seu caráter funcional e mais pelo shape, pelas sacadas de modelagem, mix de materiais sofisticados e elementos decorativos que o tornam, além de útil, irresistível. Eles misturam couro, uma textura de cobra feita de um material sintético, lã, pelo de carneiro e coelho, em shapes variados, às vezes levemente arredondados, outras mais retos, sempre com volumes contidos.

FERNANDA YAMAMOTO

Fernanda Yamamoto
A coleção de Fernanda tem origem em Cariri, na Paraíba onde ela encontrou rendeiras com técnicas artesanais herdadas de séculos, mais de 300 pontos diferentes. Toda a coleção foi feita à mão. As costureiras levaram dois meses para entregar os pedaços de rendas em pontos diferentes. E no ateliê, sua equipe levou mais um mês para emendar e tingir, transformando em um look de fato. São peças exclusivas e passam a autenticidade de um trabalho de pesquisa e dedicação, alem de belíssimas.

JULIANA JABOUR

Juliana Jabour
Fernanda Lima na passarela não foi o único atrativo do desfile de Juliana Jabour, com forte inspiração nos anos 80, cores vibrantes, muito georgete de seda, tricoline , tule bordado, paetês, alfaiataria, couro e tricô. A própria Juliana também desenhou as bolsas e calçados da coleção inverno 2016, produzidos em parceria com a Lez a Lez. Peças inspiradoras e acessórios que já podem ser adquiridos pra esta estação.

LOLITTA

LOLITTA
A coleção de Lolita Hannud se desenvolveu com o tricô, que faz parte do DNA da marca, de uma forma sofisticada e um bom trabalho com os materiais, que ela buscou no Japão (os fios metalizados), e na Itália (os fios com textura mais felpuda). São poucas cores, porém bem escolhidas e uma shape que valoriza a silhueta das meninas Lolitta e ainda encontra ecos na moda contemporânea jovem, com comprimento midi, tops cropped e vestidos bem curtinhos.

LINO VILLAVENTURA

LINO VILLAVENTURA
Lino sempre se reinventa a cada nova estação buscando muito mais no tecido e no caimento das roupas, o recado a ser dado, do que propriamente nas referências escolhidas. São roupas com movimento próprio, que de perto mostram detalhes de alfaiate e de longe parecem uma obra impressionista. Com seus tecidos estampados que depois são nervurados com linha e agulha criando desenhos, o estilista apresentou suas peças com janelas de renda richelieu. Ele usou também tafetá com tule de seda todo bordado, rebordado, com aplicações de couro de cobra entre um desenho e outro, e outras formas feitas com soutache aplicado.

OSKLEN

OSKLEN mix
Oskar Metsavaht viajou recentemente para a Grécia e trouxe de lá a ideia de falar sobre a origem das Olimpíadas, que nasceram naquelas terras, no ano de 776A.C. Junto a isso ele absorveu o conceito do conforto. Trajes amplos, com formas bem abertas, túnicas e macacões, habitando nessa órbita, quase esportiva. Um esportivo nobre, com algumas linhas clássicas e minimalistas. Basta lembrar que o nosso inverno aqui vai coincidir com os jogos olímpicos para apostar em cheio nas tendências apontadas por Oskar e Juliana Suassuna, diretora de moda da grife.

GIULIANA ROMANNO

GIULIANA ROMANNO
Giuliana disse que pensou em uma mulher livre, que transita por várias atmosferas, uma pirata urbana, com o espírito dos antigos corsários, para conceber sua coleção. Ela veio com uma bela alfaiataria na linha de desconstrução, vazados geométricos em quase todas as peças, as camisas leves e translúcidas, veludo cortado a laser, amarrações nas cinturas e punhos, fendas e recortes, executados com perfeição e a ajuda do olhar do stylist Pedro Sales. Elegância moderna e original.

PATRICIA VIERA

PATRICIA VIERA
Referências dos anos 50 e 60 estão presentes na coleção de Patricia Viera toda trabalhada em couro e lã. Um trabalho primoroso com o couro que ganha leveza e aspectos de tecido para se transformar em peças diversas com alusão ao deserto do Atacama. Não é à toa o fato de Patrícia ter recebido, logo após o desfile, o título de Professora Honoris Causa; eis aí alguém que ensina, porque entende do que faz.

WAGNER KALLIENO

WAGNER KALLIENO
Wagner que era mais afeito ao estilo gala e glamour, parece ter rejuvenescido a sua temática para criar uma coleção que brinca entre os midis e os supercurtos, com ares de quem quer sair para dançar. Ele disse que seu público alvo são as mulheres maduras que se sentem ainda jovens demais para abusar da sobriedade. Para agradá-las foi buscar um look mais moderno, usando empapelados metalizados, vinilizados, couro com animal print, lã com degradê escuro (azul ou vinho com preto), peludinhos e chamois.

RATIER

RATIER
Para a sua coleção de estréia no SPFW, Renato Ratier trouxe vestidos retos, de linhas simples, de couro, com textura e linho. A silhueta é alongada e levemente deslocada.Os acabamentos pontudos e assimétricos das barras e mangas seguem a mesma ideia da roupa de batalha, vinda do tema da coleção (Guerreiros), que além do couro, traz boas peças de linho, seda, e alfaiataria.

COLCCI

COLCCImix

A Colcci pode não parecer a mesma sem Gisele, pelo menos para a platéia que tinha sempre sua maior expectativa em cima da sua aparição da nossa supermodelo, mas o estilo permanece. Peças estruturadas, muita alfaiataria, jeans, florais, acetinados com padrões digitais e os tons terrosos, que são tendência para o inverno 2016.

AMAPÔ

Amapô
A coleção Amapô esquenta o inverno com cores fortes, tendo como novidade os veludos, de vários tipos e alguns babados, conferindo um certo romantismo inédito para a grife. O alto astral e as brincadeiras de tons, deram um ar lúdico, ao desfile que fechou a São Paulo Fashion Week.

E aqui você conferiu todos os desfiles, seus destaques e apostas para o próximo inverno. Aproveite as dicas e planeje seu guarda roupa, com calma e tempo, enquanto curte a primavera-verão.

bj pra vcs

Fabi Scaranzi


VOCÊ TAMBÉM PODE GOSTAR DISSO
FAB PRODUÇÕES
BIOGRAFIA
PALESTRAS
  • Mulheres muito além do salto alto
  • Albert Einstein
Fabiana Scaranzi
© Copyright 2017 - Fabiana Scaranzi. Todos os direitos reservados. O conteúdo deste site não pode ser reproduzido, distribuído, transmitido ou usado, exceto com a permissão prévia por escrito. Site por Design Ideal

Fabiana Scaranzi

Site feminino, com notícias, beleza, moda, saúde e bem-estar.

Coaching, Viagens, Vídeos, Como Fazer, Mundo Scaranzi

Por Fabiana Scaranzi

Miss Lily Comunicação