Câncer de pele: entenda a importância do autoexame

O verão chegou e com ele a forte exposição ao sol aumentam os riscos de câncer de pele. Saiba como se proteger e identificar manchinhas perigosas

0 1049

Imagem relacionada

A estação mais quente do ano chegou e, com ela algumas ameaças, principalmente à nossa saúde. Sabia, que de acordo com o INCA (Instituto Nacional do Câncer), por anos são registrados 135 mil novos casos de câncer no Brasil, sendo 25% câncer de pele? Pois é, os números são alarmantes, ainda mais porque, assim como o câncer de mama, pelo o autoexame, alguns casos de câncer de pele poderiam ser rapidamente revertidos.

E se você faz parte do time que acha que está protegida só porque passa protetor solar todos os dias, é melhor pensar duas vezes. Lógico que criar o hábito de passar protetor ajuda (e muito!) a prevenir o desenvolvimento de tumores malignos, mas é preciso também acompanhar aquelas lesões que já existem e que mudam de característica com o tempo. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, se você notar que uma pinta começou a crescer, coçar, sangrar, se tornou uma feridinha que não cicatriza, alterou de cor ou apresenta formato irregular, é melhor marcar uma consulta num dermatologista a fim de evitar o desenvolvimento do câncer de pele o quanto antes. “Como o câncer de pele atinge especialmente áreas expostas de maneira crônica, como o rosto, são principalmente essas áreas que devem ser alvo de medidas protetoras como filtro solar e acessórios como chapéu e boné, garantindo a obtenção do sol para a fabricação da vitamina D em outras áreas do corpo”, observa o dermatologista do Hospital Albert Einstein, dr. Luiz Guilherme Martins Castro.

Detectando o câncer de pele no autoexame
Ficar atenta ao surgimento de novas pintas, feridas e manchas é fundamental para o diagnóstico precoce de lesões malignas, inclusive para quem tem pele negra e são menos propensas a sofrer com os tipos de câncer causados pela exposição solar. Por isso, abaixo listei algumas dicas pra você ficar de olho no próprio corpo. Espia só!

De frente ao espelho e com uma boa iluminação, examine minuciosamente seu rosto, principalmente nariz, lábios, boca e orelhas.

Não esqueça de fazer uma avaliação severa no couro cabeludo. Separe os fios com um pente ou use o secador para melhorar a visibilidade.

Na hora de autoexaminar suas mãos, não esqueça de checar entre os dedos

Levante os braços para checar axilas, antebraços, cotovelos, virando dos dois lados, com a ajuda de um espelho de alta qualidade.

Agora é a hora de conferir seu pescoço, peito e tórax. Em seguida, levante os seios para conferir se há a presença de pintinhas onde fica o sutiã. Veja também a nuca e por trás das orelhas.

De costas para um espelho de corpo inteiro, use outro para autoexaminar com atenção ombros, costas, nádegas e pernas.

Sentada, preste atenção à parte interna das coxas e a área genital.

Por fim, ainda sentada, verifique os tornozelos, o espaço entre os dedos e a sola dos pés.

Resultado de imagem para autoexame pintas

A importância do check-up anual
Vale ressaltar que o autoexame semanal é imprescindível, mas isso não exclui a visita periódica (de preferência a cada seis meses!) a um dermatologista, principalmente se você fizer parte do grupo de risco: pele clara, com sardas, cabelos claros ou ruivos, olhos claros ou com histórico de câncer de pele na família. De acordo com a minha dermatologista, dra. Maria Bussade, apenas alguns tipos de câncer de pele têm origem hereditária. “A maioria está relacionada com a exposição solar crônica ou queimaduras que a pessoa teve durante toda a vida, seja por conta do trabalho à céu aberto ou pelo contato constante com determinados agentes químicos”.

Entendeu porque é tão importante fazer o autoexame quando o assunto é prevenir o câncer de pele?

Bjs,
Fabi Scaranzi