Inteligência emocional: aprenda a lidar melhor com seus sentimentos

Ao trabalhar e interpretar melhor seus sentimentos - prática conhecida como "inteligência emocional" - você se torna uma pessoa mais tolerante, resiliente e empática

4 848

fabi inteligencia

Nossa capacidade de alterar determinados tipos de comportamento pessoal é uma grande vantagem. Já imaginou se tivéssemos que nos manter sempre presas as nossas falhas e defeitos? Seria difícil! Entretanto, apesar de possível, como qualquer outra competência essa prática exige muito treino e motivação.

Talvez você nunca tenha ouvido falar de “inteligência emocional”. O termo, usado principalmente na psicologia, refere-se a “capacidade de reconhecer e avaliar os seus próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles”. Interessante, né?

E basta pensar um pouco sobre o assunto pra percebermos como passamos a viver melhor em sociedade quando nos tornamos mais maleáveis em relação ao jeito, opiniões e convicções de quem convive com a gente. O benefício vai muito além das nossas relações pessoais. Ele também é elemento chave e crucial no meio corporativo. “Quem tem inteligência emocional geralmente é confiante, sabe trabalhar na direção de suas metas, é adaptável e flexível. Você se recupera rapidamente do estresse e é resistente”, disse ao Huffington Post o psicólogo Daniel Goleman, autor de “Focus: The Hidden Driver of Excellence” [“Foco: O Motor Oculto da Excelência”]. “A vida corre muito mais suavemente se você tiver boa inteligência emocional.”

Que tal então começar a treinar hoje mesmo a sua inteligência emocional? Veja abaixo oito dicas práticas!

Defina bem o que você sente
Tente pôr suas emoções em palavras. Sentiu uma emoção desconhecida? Procure a melhor palavra para descreve-la. É raiva, medo, euforia, remorso? Quando identificamos nossos sentimentos descobrimos quais atitudes tomar em relação a eles e nos adequamos aos mais diferentes momentos da vida ao invés de nos tornarmos escravos deles.

Diminua os julgamentos
A probabilidade de conhecermos pessoas que pensam como nós logo de cara é muito difícil. Mesmo que você estranhe ou até ache ridícula a opinião do outro, tente ver a questão por outra perspectiva. Aprecie as diferenças que existem entre vocês e procure ao máximo aprender algo com elas. Não foi possível, afaste-se. Assim você não abre espaço para que boatos negativos te abalem no futuro.

Coopere o máximo que puder
Oferecer sua ajuda, mostrar disponibilidade e cooperar com quem precisa é uma forma simples de criar laços e vínculos emocionais, seja entre amigos, companheiros de trabalho, vizinhos… O importante é que você esteja disposta a apoiar o outro, perguntar se ele precisa de ajuda, se colocar no lugar dele… enfim, essa característica da inteligência emocional torna você um ser humano melhor e ainda te ajuda a fortificar pilares importantes da sociedade. Bom, né?

Não reclame
É impossível não passar por momentos de frustrações e, com elas, descarregar uma bagagem de queixas e reclamações. O que pouca gente sabe é que o ato de reclamar pode, aos poucos, se tornar um hábito o que só piora a situação. Afinal, que soluções podem surgir de uma queixa atrás da outra? O segredo está em canalizar suas frustrações para algo estratégico a fim de corrigir o que deu errado ou sendo bem-sucedida naquilo que, antes, não aconteceu como você previa.

fabi inteligencia2

Observe os outros
Lembra quando eu disse lá em cima que inteligência emocional não se trata apenas de você? Parte do seu desenvolvimento pessoal está na sua interação com os outros. Por isso, tente exercitar ao máximo essa sua sensibilidade diante das emoções e maneiras de agir do próximo. Com o tempo você vai passar a conhecer e a lidar com as respostas interpessoais que recebe, aprendendo, inclusive a reagir de maneira mais humana.

Viva os conflitos
Engana-se quem pensa que inteligência emocional tem a ver com “paz eterna”. Pelo contrário! A ideia é que você vivencie diferentes tipos de emoções e sentimentos (inclusive os ruins!), mas faça bom uso de todos deles, tirando de cada nova situação, uma lição. Em muitos casos, confrontos e questões difíceis devem ser abordados, de maneira que haja um crescimento e até uma nova forma de abordagem para resolver, de fato, o tal problema.

Planeje suas conversas
Não estou sugerindo que você treine suas conversas na frente do espelho! A ideia é que você visualize algumas discussões que sabe que terá no futuro, averiguando se a sua forma de abordagem é a mais indicada. Avalie algumas questões: é assim que você deve introduzir a conversa? O local é o mais apropriado? Leve todas as essas perguntas e reações do outro em consideração e, então, mude o que precisa ser adaptado. A intenção é se tornar uma pessoa melhor, lembra? Por isso, procure sempre conversar de maneira amigável, sem jamais parecer hostil.

Resista às tentações
Tome cuidado com seus impulsos! Para exercitar sua inteligência emocional, é fundamental considerar os efeitos das suas ações, inclusive a longo prazo. Isso fará de você uma pessoa mais altruísta, principalmente se você se vir sacrificando seu conforto de vez em quando para o bem do outro. E pode não parecer, mas ao fazer o próximo feliz (seja no trabalho ou dentro de casa), você também se sentirá em paz consigo mesma.

Agora é só colocar essas dicas em prática, trabalhar sua inteligência emocional todos os dias e se tornar uma pessoa muito melhor. Você vai ver como sua vida ficará bem mais leve.

Bjs,
Fabi Scaranzi