Investimento: será que seu dinheiro está mesmo rendendo?

Um bom investimento bancário é sinônimo de segurança financeira no futuro. Aprenda como garantir um maior rendimento monetário e faça seu patrimônio crescer rapidinho!

0 506

    mulher e cofrinho

    Em tempos de crise é preciso, mais do que nunca, acompanhar seus investimentos de perto. E quando eu digo “de perto”, não é apenas confiar na palavra do seu gerente, mas também ficar de olho nas pesquisas e programar direitinho o quanto do seu salário vai poupar no fim do mês. São tantas perguntas pra se fazer e tantas decisões para considerar que, entre uma escolha e outra é natural se questionar se seu dinheiro está mesmo rendendo.

    Pensando nisso, separei as dúvidas mais comuns quando o assunto é investimento pra você fazer direitinho seu planejamento financeiro e ver seu patrimônio crescer cada vez mais.

    1. Planeje o quanto você vai poupar por mês
    Nada de deixar pra pôr na poupança apenas o que sobra dos seus gastos no fim do mês, afinal não dá pra garantir você vá criar essa reserva mensalmente. Lembre-se que a poupança serve para uma necessidade e deve ser planejada com antecedência. Senão, as chances de você gastar tudo o que ganha todo mês são enormes e você corre o risco de achar que não recebe o suficiente para criar uma reserva.

    Portanto, o mais indicado é montar uma planilha de gastos mensais e se certificar de que está realmente poupando tudo o que pode e calcular o quanto mais ainda consegue guardar. Lembre-se que o mais indicado é que uma pessoa poupe 20% da sua renda líquida, mas nada te impede de começar aos poucos, poupando 5% ou 10% até conseguir adequar totalmente seus gastos.

    2. Liste suas metas
    A principal função de um investimento é ajudar você a realizar seus sonhos, por isso é imprescindível que você saiba onde colocar seus recursos e principalmente quais são os seus objetivos a curto e a longo prazo. Sabia que existem aplicações mais recomendadas para metas de curto prazo? Enquanto outras funcionam melhor para aqueles planos mais distantes? É através desse planejamento e de uma conversa franca com o seu gerente que você vai conseguir manter a disciplina na hora de economizar e vai fazer exatamente o momento certo de resgatar o seu dinheiro e investir naquilo que tanto deseja.

    3. Aprenda como funciona o seu investimento
    Lembra quando eu disse lá no começo dessa matéria sobre não apenas confiar nos conselhos do seu gerente, mas também ficar atenta às pesquisas? São elas que vão te ajudar a escolher um bom investimento! Só que pra isso, antes de tudo, é preciso entender o seu perfil como investidora, qual a rentabilidade (mensal e anual) daquele investimento, quais taxas serão cobradas por ele, quando você está liberada para resgatá-lo, se existem cobranças de imposto de renda e até qual é o risco envolvido na sua escolha.

    Parece complicado, né? Mas existem muitos sites que ajudam você a entender essas questões. Dá uma olhada nesse ebook de investimentos para iniciantes oferecido pelo Finanças Femininas. Ele é ótimo e ajuda bastante que ainda é um pouco leiga nessas questões econômicas.

    mulher-investimento-bolsa-de-valores-14698

    4. Conheça as suas opções
    Parece uma dica óbvia, né, mas muita gente esquece de comparar seus investimentos a outras opções disponíveis no mercado antes de tomar suas decisões. Para garantir uma escolha segura e certeira, não tem jeito: só uma boa pesquisa de mercado vai te ajudar a saber se seu dinheiro realmente está rendendo tudo o que poderia.

    Por isso, é necessário comparar as condições oferecidas em sua aplicação com outros produtos oferecidos pelo banco. Compare seu investimento também às vantagens oferecidas por outros bancos e corretoras e tente negociar. Você vai ver que encontrará opções muito mais benéficas do que as oferecidas inicialmente.

    5. Por fim, compare a rentabilidade do seu investimento à inflação
    É verdade que ver o nosso dinheiro rendendo um pouquinho todo mês passa aquela sensação de segurança. Porém, seu investimento só será um bom negócio se ele superar a inflação e, assim, garantir o seu poder de compra com o passar do tempo. Por isso, não deixe de fazer esse comparativo, se certificando de que a rentabilidade supera de fato o IPCA e, mais pra frente, te traga um bom retorno real. Até por que, a intenção é exatamente essa, né? Ver seu dinheiro investido crescer cada vez mais e gerando bons frutos no futuro.

    Fim das dúvidas?

    Bjs,
    Fabi Scaranzi

    *Fonte: financasfemininas