Como descobrir se sua ideia rende um bom negócio

Teve uma grande ideia? Agora é a hora de saber se vale a pena colocá-la em prática e quais as chances de ver seu negócio render bons frutos!

0 715

    Mulheres-Empreendedoras-Clinton-Education1-e143929833122bbbbbbbbbb

    É assim mesmo, sem a gente esperar que surgem nossas melhores ideias. Parece que algumas oportunidades caem no nosso colo, ainda mais quando são para trabalhar com algo que a gente realmente entende e gosta. Mas será que esse insight de um produto ou serviço novo tem mesmo potencial para virar algo concreto? E mais: será que ele agrega valor e existe lugar para ele no mercado de trabalho?

    O primeiro passo você já deu, afinal como é difícil ter uma ideia que se destaque entre a concorrência hoje em dia, né? Agora é que vem a parte mais difícil: avaliar a viabilidade desse negócio para, então, transformar sua ideia em um plano de ação consistente.

    Para fazer sua ideia sair do papel é preciso definir, antes de tudo, os objetivos básicos a serem atingidos a longo prazo. É aí que entram os famosos cinco níveis de viabilidade de um negócio, explicado pelo professor de criatividade e empreendedorismo Marcos Hashimoto à Endeavor Brasil – organização líder no apoio a empreendedores de alto impacto ao redor do mundo. Para o especialista, se sua ideia atender estes cinco níveis por meio de um plano de negócio, então você tem tudo para ser uma empreendedora de sucesso. Confira abaixo!

    1. Viabilidade do produto
    Neste primeiro nível de viabilidade você precisa demonstrar ser capaz de gerar um produto ou serviço que tenha um valor para um determinado cliente. Hashimoto afirma que, aqui, você mostra que tem as competências, as habilidades, o conhecimento e as condições necessárias para produzir esse produto, assim como o fato de que ele apresenta algum diferencial em relação à concorrência. Para comprovar essa viabilidade, é fundamental que o seu plano de negócio apresente detalhes do processo de desenvolvimento e criação do produto. E mais: você já deve possuir um protótipo do produto e até ter realizado alguns testes de mercado com ele.

    2. Viabilidade do mercado
    Depois de testar o produto os resultados foram positivos? Certo, o próximo passo então é descobrir se existe um número mínimo de clientes que possibilitem a produção deste produto ou serviço. Assim, o seu plano de negócios deve apresentar as seguintes informações:

    – Argumentos que defendam que o mercado é conhecido.
    – Motivos pelos quais o apelo de valor do produto ou serviço é atrativo para este mercado.
    – A forma como se atingirá esse mercado e como se construirá a percepção de valor no segmento desejado deste mercado.

    3. Viabilidade operacional
    O produto é viável e o mercado também. Ótimo!! Agora é preciso ter certeza de que você consegue produzi-lo em série. Desenvolver algo em casa, apenas para os amigos e família é bem diferente de produzir o mesmo serviço em larga escala. Você não só precisará se adequar à demanda, como também ter capacidade de bancar os valores dos outros fornecedores, como matéria-prima e distribuição do produto até o cliente final.

    mulher trabalhando 9

    4. Viabilidade financeira
    Você tem a ideia, a aceitação do mercado e a capacidade de atende-lo. Você está quase lá!! Para Hashimoto, o próximo passo é demonstrar que a soma das vendas projetadas ao longo do tempo em algum momento conseguirá cobrir as despesas e custos para confecção desse produto e inauguração desse novo negócio. Depois, você precisa provar que os lucros acumulados irão cobrir os investimentos totais feitos, com um retorno que compense todo o dinheiro investido. Será que dá?

    5. Viabilidade de crescimento
    Ao atingir o quarto passo, é natural os empreendedores se darem por satisfeitos. Mas nem sempre pagar o investimento inicial é o suficiente. É preciso demonstrar no seu plano de negócio que sua ideia/produto tem potencial para gerar um crescimento rápido e positivo. Afinal, a gente só ganha quando somos capazes de vender o nosso negócio por um valor já considerando os lucros que ele dará no futuro.

    Deu pra entender como esse plano de negócio é importante? Não dá pra saber se a sua ideia rende um bom empreendimento sem considerar cada uma dessas etapas, fazendo os ajustes necessários para o cumprimento de cada uma delas. Comece sempre pelo mais simples – que é testar a viabilidade do produto – e vá aumentando a complexidade a medida que ele se demonstra cada vez mais viável.

    Assim você consegue colocar sua ideia brilhante em prática sem correr o risco de investir seu dinheiro em um negócio que não tem possibilidade de lucro ou crescimento.

    Bjs,
    Fabi Scaranzi

    *Fonte: Endeavor Brasil/Marcos Hashimoto