Especial chapinha! Dicas para escolher a melhor prancha pra você

Sabia que até o comprimento do cabelo interfere na hora de escolher a chapinha perfeita pra você? Preste atenção às dicas e consiga o cabelo liso perfeito

0 1406

chapinha 2

Já faz anos que a chapinha virou companheira inseparável para a grande maioria das mulheres que sonham com o cabelo liso perfeito. O problema é que, se você não tomar alguns cuidados, o calor da chapinha pode causar sérios danos aos fios. Por isso, preparar o cabelo antes de aplicar o aparelho e não exagerar no uso, é fundamental escolher o modelo de prancha mais adequado para o seu tipo de cabelo.

E engana-se quem pensa que chapinha é tudo igual! Pelo contrário. Existe no mercado inúmeras opções, específicas para cada caso. Por exemplo: há modelos de pranchas pequenas, mais largas, com ou sem fio, feitas de íon ou turmalina, de cerâmica ou metal… Aí fica impossível não se confundir na hora da compra, né?

Se a chapinha ideal para quem tem cabelo armado é diferente da de quem tem cabelo ondulado, ou se os modelos variam para cabelo curto ou bem comprido, separei dicas infalíveis para você não errar na hora de comprar a prancha perfeita pra você. Anote aí!

1. Para tipo de cabelo uma temperatura diferente
É sempre bom comprar uma chapinha que ofereça regulagem de temperatura. Quem tem cabelos finos, por exemplo, o melhor é regular a temperatura entre 180° e 190°. Já cabelos mais grossos podem demorar um pouco mais para alisar, entretanto, o melhor é repassar a chapinha numa mesma mecha várias vezes do que ultrapassar a temperatura de 220°.

Se seu cabelo for tingido, lembre-se que uma temperatura muito alta (que tal 140°?), além de danificar ainda mais os fios, pode desbotar a coloração.

2. De olho no material
Sabia que hoje em dia existem diferentes materiais de chapinha e que elas influenciam muito no resultado do seu alisamento? Por exemplo, quando o assunto é tecnologia, as chapinhas de titânio e turmalina ajudam a selar a cutícula, mantendo a umidade e os nutrientes dentro da fibra, o que ajuda a controlar o frizz e dar brilho no cabelo. Já a de safira tem uma superfície bem lisa, o que diminui o atrito com os fios, evitando quebras e pontas duplas. Já as chapinhas com infravermelho ativam as moléculas de água dos fios, dando a aparência de fio mais hidratado e saudável.

Em relação ao material, também é preciso ficar de olho. Hoje, é quase impossível encontrar as chapinhas de alumínio que por tanto tempo foram famosas nos salões de beleza. O motivo? O aquecimento acontece de forma irregular, obrigando você a passar a prancha numa mesma mecha várias e várias vezes. O melhor mesmo é investir na chapinha de cerâmica, onde o calor é equilibrado e se mantem estável, o que evita que os fios sejam queimados durante o processo.

E se você faz parte do time de mulheres que sofre com o frizz, o mais indicado é escolher a chapinha de íons e cerâmica, já que ela fecha as cutículas dos fios e não exige que você alise várias vezes o mesmo lugar. Dica anotada?

3. O formato muda tudo
Diante de tantos tamanhos de chapinha, fica difícil escolher qual levar pra casa? Sem pânico, eu ajudo! As mais fininhas são perfeitas para quem tem cabelos curtos ou mais ralinhos ou para tratar especialmente da franja. Se você tem cabelos mais longos ou volumosos, prefira chapinhas mais largas, apesar de serem mais difíceis de manusear.

Se você procura praticidade, que tal um modelo sem fio? Além de serem mais fáceis de transportar, elas te dão mais liberdade na hora de passar a prancha no cabelo.

4. A voltagem certa
Essa diferença de voltagens pode atrapalhar bastante quando você precisa levar seu eletrônico numa viagem. Sorte que a maioria das chapinhas é bilvot (funcionam tanto em tomadas 110v como em 220v). Assim você garante poder levar sua prancha a qualquer lugar do mundo, sem correr o risco de danificar o aparelho.

chapinha-babyliss-cabelos-160372175

Aprenda a usar a chapinha como um cabeleireiro profissional
Sente que a chapinha feita em salão fica bem mais bonita do que o seu alisamento feito em casa? Siga essas dicas para usa-la e conseguir o cabelo liso dos sonhos – e sem danificar os fios!

Aplique sempre um protetor térmico antes de começar o alisamento. Hoje em dia existem produtos especiais para quem agride os fios com a ação de secador e chapinha constantemente

Nunca use a chapinha com os cabelos sujos ou molhados. O mais indicado é especial que eles sequem naturalmente ou até passar um pouco de secador para garantir que os fios estejam totalmente secos.

Ao passar a chapinha por todo o comprimento dos fios, você corre o risco de danificar o cabelo e, em pouco tempo, encontrar um monte de pontas duplas. O melhor é sempre passar da raiz até o meio do cabelo. E nunca (nunca mesmo!) deixe o aparelho parado no fio. A chapinha deve sempre deslizar da raiz até as pontas, sem marcar.

Para não danificar os fios, o melhor é usar a chapinha apenas uma vez por semana. Se o uso for diário, uma hidratação a cada 15 dias é fundamental.

Cuidado para não queimar o rosto, pescoço, orelhas e mãos. Todo cuidado é pouco na hora de manusear o aparelho.

Dúvidas respondidas?

Bjs,
Fabi Scaranzi